Os impactos do novo Coronavírus, COVID-19, atingem os mais diversos segmentos da sociedade. Saúde, economia e, até mesmo, a comunicação estão sofrendo mudanças significativas devido às incertezas que este momento nos apresenta.

Recebemos a toda hora, de todos os cantos, convites para lives dos influenciadores digitais, dicas dos criadores de conteúdo na internet. Todos passaram a investir em novos formatos para comunicarem-se melhor com seus seguidores e público em geral.

De acordo com levantamento recente da Spark, empresa especializada em ações de marketing de influência, os influenciadores que postaram sobre o Coronavírus tiveram uma taxa de engajamento média aumentada em 1,2% em relação às suas publicações tradicionais. A Squid, outra empresa especializada no setor, notou aumento de 24% na taxa de engajamento dos criadores de conteúdo e 27% no alcance de stories do Instagram

Os dados evidenciam a importância dos influenciadores digitais neste momento e, também, reforçam a necessidade de modificação nesses conteúdos. Lives contando o cotidiano do influencer, entrevistas com pessoas das mais diversas áreas trocando experiência do seu dia a dia têm atraído os olhares de todos nós. Além, é claro, das dicas de receitas, exercícios, filmes, leituras que surgem, diariamente, na nossa timeline neste período de distanciamento social. Com isso, percebemos que os influenciadores podem, mais uma vez, se tornarem aliados das marcas.

Para oferecer conteúdo de relevância e qualidade para o público a marca precisa aliar-se à força e influência dos creators. É importante seguir algumas dicas. Para isso, buscamos como referência o recente estudo realizado pela Youpix e Brunch, duas empresas especializadas em entretenimento digital e marketing de influência:

  1. Ajustar-se ao território de confiança. É necessário adaptar toda a estratégia de comunicação da marca, isso inclui criar conteúdos próprios e em parceria com influenciadores.
  2. Da mídia para o conteúdo. Aqui a marca deve se preocupar em criar um conteúdo que fortaleça a conversa com o consumidor. Na escolha do influenciador, é necessário levar em consideração o fit com o propósito e público da marca, além do engajamento do creator nas redes.
  3. Consumo consciente. Falar diretamente de produtos não é o foco agora, por isso, é necessário alinhar o discurso com o influenciador-parceiro para que o posicionamento da marca fique ainda mais claro.
  4. Conscientização. Os esforços de marketing de influência precisam estar atentos para conscientizar o consumidor. É nessa etapa que os creators podem ser extremamente importantes para ajudar a marca e a população.
  5. Comunidade. Aposte em discursos próximos à comunidade. Fortalecer laços e gerar confiança serão fundamentais para a marca ser lembrada.

 

Aqui na Fatto tivemos que alinhar a necessidade dos clientes às dificuldades encontradas neste período de pandemia. É a hora de repensar estratégias, reavaliar planejamentos e alterar ações para que elas estejam de acordo com o discurso adequado para este momento.

Campanhas que envolviam produtos como marmiteiras e potes térmicos, por exemplo, tiveram que ser reavaliadas, já que a conjuntura agora exige ficar em casa, ou seja, os produtos deixam de fazer sentido para uma ação atual. Já o foco principal de ativação com os influenciadores digitais  são  os itens que envolvem o dia a dia na cozinha e receitas, também, produtos para home office e para curtir a casa.

Não há receita pronta para trabalhar os conteúdos, nem com os produtores de conteúdo neste contexto, o importante é entender as limitações e os desejos do cliente, compreender de que forma isso tudo pode chegar ao público num formato responsável, correto e acolhedor. Converse com o cliente, entenda os consumidores e planeje novamente suas ações a partir desses insights!