O Coletiva.net visitou a Fatto e produziu uma matéria contando a nossa história e um pouco mais sobre a nossa rotina. O texto completo está disponível no site e abaixo!

Equipe com a repórter do Coletiva.net, Patrícia Lapuente

Contraste entre a natureza e o urbano: assim a jornalista Fátima Torri define a paisagem da vista da grande janela da sede da Fatto Comunicação, localizada no 11° andar de um prédio na movimentada avenida Carlos Gomes. Muitas foram as ideias projetadas por profissionais para o espaço, porém o ambiente clássico, ao mesmo tempo colorido, foi a escolha da sócia-fundadora. Provinda de diversos veículos, como ‘Estadão’ e revista ‘Exame’, a dona da assessoria de Comunicação desejou voltar às raízes e, hoje, ilustra o modelo de uma redação no local.

Além da informalidade que o local em conceito aberto e com uma ilha central abriga, ainda agregam o ambiente uma estante com livros e revistas, pequenos pufes coloridos e uma espécie de minicozinha. Um grande mural de cortiça, que ocupa uma parede uma inteira, é abastecido pela equipe e, em cada canto, pode-se observar com o que cada colaborador contribui: desde frases inspiradoras até fotos da infância.

Ao entrar na sala, além de se deparar com um enorme F, observa-se, também, a sala de Fátima. Dona do único espaço fechado – devido à privacidade que determinadas reuniões necessitam -, segundo ela, a empreendedora adverte: “Não gostaria que fosse assim, mas é preciso para alguns encontros”. Para compensar a predileção por poder trabalhar junto, fez questão de tornar as paredes envidraçadas, visto que o briefing passado à arquiteta era de que não houvesse hierarquia no layout.

Dentre tantos cantinhos, contudo, é em uma mesa redonda, no fundo da sala, que a equipe deixa as demandas um pouco de lado e parte para a diversão. “A gente, às vezes, está no nosso mundinho, no computador, e é só darmos cinco passos para o lado que já faz toda a diferença”, salienta o coordenador de estratégia, além de sócio e filho da fundadora, Marcelo Torri. No espaço, confraternizam com cafés e datas comemorativas, como os aniversários.

Além do trabalho

Momentos de descontração e bate-papo são o que não falta à equipe, afinal, o prédio possui diversos locais de convivência. Como é o caso de uma cafeteria, situada no segundo andar, que possui uma área aberta, além de um gazebo, cujo canto dos pássaros sempre embala os períodos que se reúnem lá. Ainda há dois restaurantes, sendo um destes de culinária japonesa, que agrada boa parte da equipe.  

Além do edifício corporativo, o grupo sai muitas vezes do trabalho e realiza programas como ir ao cinema, visitar um karaokê, andar de bicicleta na Orla do Guaíba, bem como de quadriciclo, e um piquenique na Praça Japão. Churrascos são sempre bem-vindos, como o que foi realizado em 2018 para o chá de casa nova de Marcelo. Apesar de tantas saídas, são as festas de final de ano que mais chamam a atenção. No final de 2018, por exemplo, passaram um dia inteiro juntos com diversas atividades. Dentre elas, estavam banhos de piscina, a presença de um especialista em drinques e a contratação de uma profissional que lê borras de café.

O lado mais místico, aliás, que começa por um gosto pessoal de Fátima, é vivido por todo o time. Uma das brincadeiras internas é questionarem o signo das pessoas. “Este é o cartão de visitas da Fatto”, comenta Marcelo. A sala, inclusive, possui uma estrutura baseada em Feng Shui – ciência e arte chinesas, cujo objetivo é organizar os espaços com o fim de atrair influências benéficas da natureza.

Jeito Fátima

A sócia-fundadora salienta como lema o entendimento de que “o corpo que trabalha é o mesmo que vive em todos os outros lugares”. “O que nos conecta com o mundo é o que fazemos profissionalmente e, por isso, precisa ser uma experiência rica”, enfatiza a jornalista, que considera ter empatia e compreensão. Na visão de Fátima, as pessoas não podem ser vistas como mão de obra, pois todos são humanos em sua totalidade. Marcelo concorda: segundo ele, este é o cerne da empresa, e é o que os motiva no dia a dia. “Pode parecer clichê, mas sempre foi assim aqui, antes mesmo de as pessoas e empresas falarem isso”, diz. Para tal, a equipe acredita que o ambiente é o principal atributo da Fatto, pois todos têm oportunidade de aprender e não existem estruturas rígidas e fechadas na agência.

Marcelo, que está hoje com 29 anos, sendo que a empresa possui mais de duas décadas, cresceu junto com o negócio da mãe e, por muitas vezes, trabalhou até mesmo como entregador de bolos especiais para os parceiros. “Antes mesmo de entrar aqui, todos já me conheciam no mercado por ser o filho da Fátima”, recorda. Entretanto, apesar de escolher atuar na área da Comunicação, a sócia-fundadora, que possui mais um filho, sempre deixou claro para o caçula que precisava se preparar para ingressar na equipe, pois era necessário agregar à empresa. Foi então que, após passar os últimos quatro anos atuando como atendimento em uma agência de propaganda, resolveu testar novas oportunidades e, como desejava saber como funcionava a Fatto, percebeu que este momento havia chegado em 2017.

Sobre a relação, Fátima pontua que, no começo, foi difícil não agirem como mãe e filho, porém com o tempo aprenderam e, hoje, respeitam a visão de mundo um do outro – refletindo o que acontece em casa. Já Marcelo afirma que é uma relação tranquila. “No início, tivemos alguns embates, mais por diferenças pessoais do que profissionais, mas sempre deu certo porque desejamos o mesmo”, revela.

Fatos

Com o fax acordando todos durante as madrugadas. Foi assim que começou a Fatto Comunicação, em 1996. O primeiro espaço que a abrigou foi um quarto localizado no apartamento do Bom Fim. Recém-chegada em Porto Alegre, ao voltar de Brasília, a jornalista, que havia passado por diversas redações, estava com vontade de mudar. Foi então que soube da necessidade que o grupo Renner Hermann tinha em contratar uma assessoria de imprensa. O flerte acabou virando um casamento de oito anos com a empresa que possui a famosa marca de tintas. E, com ele, um sólido relacionamento com o mercado.

Provinda da união entre os dois primeiros nomes da sócia-fundadora (Fátima Torri), a empresa ainda passou por mais dois locais até chegar à nova moradia – onde está há cinco anos, sendo a primeira na rua República e a segunda do outro lado da atual sede, também na avenida Carlos Gomes.    

Sinergia é o que não falta na equipe, enquanto colaboração é uma das palavras-chave. Com ritmo intenso, afirmam que se movem em ritmo de redação – sempre antenados para saber o mais rápido quando podem encaixar o cliente em uma pauta. “A engrenagem daqui está sempre rodando e isso é muito legal. Temos no mural escrito ‘qualidade, quantidade e ritmo’, pois o último é o nosso cerne – todo mundo pensando juntos e dando ideias”, aponta Marcelo.

Fátima destaca outro ponto: o encaixe de qualidade entre os colaboradores. “Se observares a Alice e o Marcelo, eles são extremamente complementares. Ela é mais crítica e detalhista no que está fazendo, enquanto ele possui uma leveza e tem a capacidade de tornar os ambientes mais tranquilos e, ao mesmo tempo, traz ótimas ideias”, expõe. Ela se refere a Alice Kuchenbecker, relações-públicas que coordena a produção, sendo a colaboradora mais antiga, com cerca de quatro anos de casa. Outro destaque da empresária é Júlia Aguiar, contratada com menos de um mês de formada, e que completa um ano neste mês. Isto porque, aos 22 anos, com exatamente o mesmo tempo no mundo do que a assessoria de imprensa no mercado, sempre surpreendeu a todos com capacidade e profissionalismo.

Relacionamentos duradouros

São 12 pessoas que formam o time, mas ele ainda é composto pelo que brincam ser os “braços da Fatto”. Lívia Pinent, que mora em Portugal, na cidade do Porto, trabalha com as redes sociais da empresa desde as terras lusitanas. Já Cris Landi, jornalista que atua em São Paulo, faz o relacionamento a imprensa nacional e com o mercado de influenciadores.  O segmento, aliás, é a nova proposta de especialização da empresa. A mineira Melissa Gomes, mestranda que está há um ano e meio na empresa, é quem possui a facilidade para tratar com esta área na Capital gaúcha. Ainda fazem parte da equipe remotamente Bianca Garrido e Camila Dilélio, que realizam em home-office o atendimento de algumas contas.

Buscando inovação e otimização, hoje as empresas por processos ágeis. O mesmo ocorre com a Fatto, que transformou grandes reuniões em pequenas e diretas ligações e, muitas vezes, em conversas por Whatsapp. Para tal, possuem grupos no aplicativo para as contas com o cliente e sem o cliente, além do geral, que engloba todos colaboradores. Contudo, o que não pode faltar são as reuniões de pauta: geralmente nas segundas, quartas e sextas-feiras. Essa prática acontece, normalmente, pelas manhãs, com o objetivo de iniciarem a tarde brifados.

Chimarrão e músicas são os acompanhamentos de sempre na rotina da equipe, porém são desfrutados quando não estão na estrada, visitando uma fábrica da Tramontina. Sendo o cliente mais antigo, há duas décadas, atendem sete das 10 fábricas – duas fora do Estado, além do institucional. “É algo que se renova. Não são clientes, mas parceiros”, diz Fátima. Trabalhar com as contas por muito tempo é o principal ponto para ela. Enquanto estiveram com a Panvel por 11 anos, o Shopping Iguatemi foi atendido por 14. “O que caracteriza nossa essência é manter longos relacionamentos”, diz ela, ao brincar que eles não ficam, mas, sim, casam.